projeto

Data de início: 10/08/2018

Data de conclusão: 09/08/2021

RIVEAL – Valores e serviços dos ecossistemas fluviais e das florestas ripárias em paisagens fluviais alteradas e futuros climáticos incertos

Luísa Schmidt (coord.), Ana Delicado.

Rios, ecossistemas ribeirinhos e humanos competem por espaço, água e energia. As florestas ripárias são ecótonos multifuncionais geradores de bens e serviços para o bem-estar humano e a sociedade, designados por Serviços dos Ecossistemas, SE. RIVEAL tem como objetivo a quantificação de SE-chave das florestas ripárias Portuguesas, e prever os ganhos/perdas de SE face aos desafios climáticos e a cenários de uso da terra e de gestão dos recursos hídricos. Este projeto centra-se em três SE: Integridade Ecológica Fluvial (SE de Suporte), Sequestro de Carbono (SE de Regulação), e Valores Socioculturais (SE Culturais). Estes desafios ecológicos e socioeconómicos requerem aproximações espaciais quantitativas, com recurso a Sistemas de Informação Geográfica e a métricas georreferenciadas validadas por dados de campo, e centrados nas necessidades políticas e nas resoluções de problemas de âmbito local. RIVEAL é um projeto transdisciplinar centrado na operacionalização conjunta de ecologistas, sociologistas e modeladores. Para atingir os objetivos propostos, o projeto reúne condições otimizadas num consórcio formado por duas instituições da Universidade de Lisboa, o Instituto Superior de Agronomia (ISA, instituição proponente) e o Instituto de Ciências Sociais (ICS) e em duas universidades da região Centro, a Universidade de Coimbra (UC) e Universidade de Aveiro (UA).

Uma vez que diversos tipos de barragens alteram de forma distinta a quantidade, qualidade e dinâmica dos caudais e consequentemente o fluxo dos SE, o projeto centra-se em dois casos de estudo em paisagens agricultadas de Portugal: Rio Lima regulado por Touvedo, uma barragem a fio-de-água e Rio Alva regulado por Fronhas, uma barragem com derivação de água para outra bacia. O projeto RIVEAL (equipa do ISA) irá quantificar, pela primeira vez em Portugal, o sequestro de carbono das florestas ripárias com recurso a imagens de muito elevada resolução (~4 cm/pixel) obtidas com Veículos Não Tripulados e calibradas por inventários florísticos e medições em campo. Para a avaliação da Integridade Ecológica Fluvial (SE de Suporte), ISA, UC e UA irão estudar conjuntamente as diversas associações funcionais (e.g. relações tróficas e de habitat, facilitação) entre distintas comunidades biológicas (vegetação ripária, plantas aquáticas, diatomáceas, invertebrados bentónicos). Para avaliar os SE Culturais, a equipa ICS irá realizar workshops de atores-chave com recurso a Investigação Participativa Ativa e perspetivar o uso da terra e as necessidades futuras em recursos hídricos. Os resultados da quantificação em SE de Regulação (Sequestro de Carbono; ISA) e Culturais (Valores Socioculturais; ICS) serão incluídos em modelos de decisão Bayesianos. Será desenvolvida uma ferramenta on-line (RIVEAL-SE) a partir dos modelos obtidos passível de quantificar intercâmbios nas decisões de gestão e priorizar onde os investimentos em capital natural poderão melhorar os SE.

A equipa do ICS será responsável pela Atividade A5 – Valores Sócio-Culturais: O Valor do Bem-Estar. Esta atividade irá abordar o valor das paisagens ribeirinhas, no sentido em que são usadas para atividades económicas (como turismo), lazer, aproveitamento do património natural, saúde e relaxamento de acordo com as perceções e relações das populações locais e visitantes, turistas e outras utilizadores (pescadores, caçadores, etc.). Além da avaliação dos Serviços de Ecossistemas, um workshop com partes interessadas e utilizadores finais definirá possíveis cenários socioeconómicos futuros, usos da terra e necessidades de água doce (para integrar a Atividade A6 Riveal-Es: Desenvolvimento de Modelos Bayesianos).


Estatuto: Entidade participante
Financiado: Sim
Entidades: Fundação para a Ciência e Tecnologia
Rede: Parceria com ISA, Universidade de Coimbra e Universidade de Aveiro